Plano Estratégico da Eni até 2050

Em 28 de Fevereiro de 2020, a Eni apresentou a sua estratégia a longo prazo, iniciando assim uma nova fase na evolução do seu modelo de negócios, que passa pela sustentabilidade económica e ambiental.

Em termos gerais, a Eni está focada em reduzir significativamente as emissões de carbono durante os próximos 30 anos. Mas os seguintes são os objetivos principais da Eni no seu plano estratégico até 2050.

  • A produção de gás em 2050 representará cerca de 85% da produção total de energia, com o subsequente declínio flexível principalmente da produção de petróleo.
  • Reservas resilientes e flexíveis de gás e de petróleo, juntamente com a capacidade para fazer investimentos futuros na exploração e desenvolvimentos para responder à evolução do mercado.
  • Produção de gás sustentável, com projetos de conservação florestal e captura e armazenamento de CO2 num total de mais de 40 milhões de toneladas por ano até 2050.
  • Forte crescimento de energias renováveis para mais de 55 GW até 2050, principalmente nos países da OCDE.
  • Aumento da capacidade de refinação biológica para 5 milhões de toneladas por ano, sem óleo de palma a partir de 2023, sete anos antes da proibição da UE.
  • Transformação dos postos de combustível tradicionais em postos de vendas, distribuindo apenas combustíveis sustentáveis de nova geração e fornecendo serviços diferenciados.
  • Com relação aos produtos químicos, será feita a transição gradual dos locais existentes para produzir mais especialidades e utilizar mais tecnologias de reciclagem de plásticos e de produtos biológicos.
  • Foram fixadas metas de redução para 2050 de 80% das emissões absolutas de carbono, bem acima do limite de 70% indicado pela AIE no Cenário de Desenvolvimento Sustentável que acompanha a redução de emissões compatíveis com o Acordo de Paris.


Claudio Descalzi, CEO da Eni, disse: “A estratégia que hoje anunciamos representa um passo fundamental para a Eni. (…) A Eni do futuro será cada vez mais sustentável. Isso vai reforçar o seu papel como um interveniente global na indústria da energia com atividades de economia circular e fontes renováveis. (...) Concebemos uma estratégia que combina a sustentabilidade económica com a ambiental. (…) Isto permitirá à Eni ser um líder no mercado… contribuindo ativamente para o processo de transição na energia.”

Por outras palavras, com este plano estratégico até 2050, a nova Eni apresenta-se ao mundo!