Novas tecnologias para uma mobilidade sustentável

A Eni desempenha um papel de liderança na descarbonização dos transportes graças às suas próprias tecnologias e acordos estratégicos, através dos quais contribuirá para tornar a mobilidade cada vez mais sustentável e circular.


Cerca de 24% das emissões globais de CO2 têm origem no setor dos transportes. Na Europa e nos Estados Unidos, as emissões provenientes dos transportes representam quase 30%. Promover transportes sustentáveis significa reduzir os gases de efeito estufa, que são a principal causa das alterações climáticas, e assumir um dos maiores desafios do mundo: proteger o ambiente. Em 2015 as Nações Unidas aprovaram a sua Agenda 2030, um programa de ação que estabelece 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Goals, SDGs) para todos seguirem: na governação, nas empresas e na sociedade, para alcançar um crescimento sustentável de um ponto de vista económico, social e ambiental. A missão da Eni agora é a mesma de 2016, mas com a adição dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Através desta combinação, vamos enfrentar os desafios globais por apoiar ativamente uma transição energética socialmente justa, para preservar o nosso planeta e fornecer recursos energéticos eficientes e sustentáveis para todos.

A Eni está a desempenhar um papel de liderança na estratégia a longo prazo para a neutralidade carbónica, promovendo uma abordagem integral a um transporte sustentável neutro do ponto de vista tecnológico, visando uma combinação de soluções inovadoras que garantam um impacto ambiental mínimo e uma maior eficiência para o consumidor.

Além disso, no âmbito do Plano Estratégico 2021-2024, a combinação das atividades de biorrefinação e de marketing dará um forte impulso ao setor da mobilidade sustentável.


Os nossos biocombustíveis

Os biocombustíveis, ao contrário dos combustíveis tradicionais, não provêm de combustíveis fósseis, mas sim de biomassa de origem vegetal. Em 2014, a Eni acrescentou ao seu negócio tradicional, quando começou a produzir um biocomponente para o diesel, ao transformar óleos vegetais em HVO (óleo vegetal tratado com hidrogénio), que, quando adicionado ao diesel, torna-se o Eni Diesel +, o combustível premium da Eni.


Completar o círculo dos transportes urbanos

A circularidade é essencial para superar os modelos antigos de desenvolvimento linear baseados unicamente na produção e consumo intensivos de energia e recursos naturais. A Eni encara o futuro como uma oportunidade de mudança, uma mudança sustentável, baseada na inovação de produtos e processos. As matérias-primas sustentáveis, a reutilização, a reciclagem e a recuperação, bem como os períodos de vida prolongados, são os três pilares em que se basearão os nossos esforços.


Poderá saber mais sobre esta notícia no press-release disponível neste link.